IMPRENSA

Congresso em Criciúma: pregadores exortam sobre o dever missionário da Igreja

Galeria de Fotos

A programação de ontem (13), segundo dia do Congresso de MOBC e Missões 2018, foi bem diversificada, com momentos de adoração, lazer e comunhão. As pregações do dia seguiram a mesma temática “Missões”, onde os pregadores exortaram sobre o dever da Igreja em levar o Evangelho “até os confins da terra”.
Pela manhã, o sermão foi apresentado pelo pastor Joel Lopes, que fez leitura no texto bíblico de Romanos 10.13-15. O ministro que dirige a IBC Canguçu abordou sobre o compromisso do cristão de ser missionário onde quer que esteja, e também sobre o dever da Igreja de gerir missões, a fim cumprir seu propósito como corpo de Cristo.
“O Senhor quer usar toda a Igreja e não apenas alguns. Muitas pessoas estão sedentas, com a alma vazia”, afirmou.
Segundo Lopes, para que a evangelização seja completa, além da pregação das Boas Novas é preciso formar novos discípulos. Para isso, ele pontuou quatro pontos fundamentais para orientar aqueles que dão seus primeiros passos em Cristo: aproximar-se de Deus, permanecer em Deus, receber graça e poder do Espírito Santo, e por fim, fazer missões.
O pregador do culto à noite, pastor Gesom Noronha, também usou a mesma temática apresentada pela manhã e baseou sua mensagem no texto registrado em João 4. 28 e 29. Ao citar a história da mulher samaritana, o pastor falou sobre a decisão de “largar o cântaro”, uma analogia extraída do trecho bíblico e que simboliza a postura do cristão de desvencilhar-se daquilo que o impede de ir e anunciar Cristo ao mundo. O pastor, que também é missionário no Ceará, esclareceu sobre a rotina em campo evangelístico, que é diferente da ideia romantizada que a maioria dos cristãos imagina. A realidade cotidiana do missionário é de desafios diários e renúncia constante. Assim como foi advertido pelo pregador da manhã, Noronha também alertou sobre o compromisso coletivo da Igreja em investir na causa de Cristo.
“Missões não é um departamento. Missões é a Igreja toda trabalhando. Devemos nos entregar completamente”, ponderou.