IMPRENSA

O nascimento de Jesus Cristo – O Emanuel

Galeria de Fotos

*Por Pastor Valdonei Manoel de Sousa

No texto sagrado de Isaías 07.14, o profeta descreve de forma minuciosa o nascimento de Jesus Cristo: “Portanto, o mesmo Senhor vos dará um sinal: Eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel.”
O Natal celebra o nascimento do Filho de Deus em todo o mundo. Jesus Cristo é o Emanuel – Deus conosco (Mt 01.21-23). Para alguns historiadores, a data comemorada deveria ser no dia 14 de abril e não no dia 25 de dezembro.  Entretanto, o foco não está no dia ou mês, mas sim, no aniversariante. O Natal é a festa mais importante do calendário mundial, em especial no Ocidente . É considerado como a “Festa das Luzes”. Bilhões de lâmpadas são acesas no mundo inteiro, iluminando as casas, as ruas, as avenidas e os shoppings das cidades. Tudo isso combina com Jesus, a verdadeira luz que ilumina a todo o homem (João 01.09).
O dia 25 de dezembro, como o dia de Natal, foi mencionado pela primeira vez no ano de 354 D.C., na velha Roma. Essa era a data conhecida como Ies Natalis Invicti, (O dia do nascimento do “Invicto”). Era uma comemoração do Solstício, ou seja, do nascimento do sol. No entanto, a comemoração foi modificada para celebrar mundialmente o nascimento de Jesus Cristo, “O Sol da Justiça” (Ml 04.02) que nasceu sobre nossa vida (Lc 01:78-79). Segundo informações de alguns historiadores, no século 3, em alguns círculos da Igreja Cristã, o aniversário natalício de Jesus eram comemorado no dia 06 de janeiro. Mais tarde, os cristãos constataram que esta data se referia ao seu batismo e não ao seu nascimento.
Ainda segundo historiadores judaicos, os cordeiros selecionados para o sacrifício da Páscoa eram postos a pastar nos campos que circundavam Belém. Estes animais, nascidos aos 14 de Nisã (abril) à tarde, eram selecionados, para que um ano depois fossem oferecidos exatamente no dia de seu aniversário, a fim de cumprir a exigência do cordeiro pascal (Ex 12.06). Sendo assim, pela providência de Deus foi concedido àqueles pastores de Belém que estivessem presentes na noite do nascimento do “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.”
Com base nessas informações os estudiosos concordam que nosso Senhor Jesus Cristo tenha nascido em Nisã (Abril) do ano “zero” da virada do milênio que iniciaria a era cristã. Independentemente de datas comprovadas historicamente, o mais importante é comemorar este momento tão especial.
Embora o que pareça mais se destacar nesta época do seja o lado comercial  e não o religioso, cabe a nós como cristãos mostrar ao mundo o verdadeiro sentido do Natal. O comércio valoriza mais a figura do Papai Noel do que do menino Jesus. Todavia, o cristão deve exaltar nesta data a pessoa de Cristo – O Salvador do mundo, o Emanuel – O Deus conosco!
A postura dos cristãos nesta data deve ser a mesma que teve o anjo do Senhor, quando comunicou aos pastores de Belém: “Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para o todo o povo, pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor” (Lucas 02.10-11). Portanto, o Natal celebra Cristo o Salvador, e não o Papai Noel.
No natal todas as pessoas ficam mais solidárias e generosas. Esse “espirito natalino” combina com a generosidade de Cristo para com todas as pessoas. A própria prática de se distribuir e receber presentes tem relação com a visita que os Magos do Oriente fizeram ao menino Jesus, oferecendo a ele três tipos de presentes: Ouro, Incenso e Mirra (Mt 02.11). O ouro simbolizava sua glória e realeza, o incenso sua divindade e a mirra o seu sofrimento no lugar de todos os pecadores. Portanto, o Natal celebra o nascimento de Cristo, o Salvador do Mundo, a Luz do mundo e a Paz que o mundo precisa.
“Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens!”
(Lc 02.14).
Esta foi a grande celebração dos anjos por ocasião do nascimento de Jesus Cristo, que marcou a chegada da presença do próprio Deus ao seio da humanidade. (Mt 01.18-23)
Em Isaías 09:06, o profeta messiânico ainda menciona os títulos divinos do menino Deus, o Emanuel, dizendo: “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros, e o seu nome será Maravilhoso, Conselheiro, Deus forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.”
Natal é amor, esperança, paz, perdão e união. Esses são os sentimentos com que devemos viver a celebração do nascimento do nosso Salvador Jesus Cristo. A Glória maior está em seu nascimento, pois em nenhuma hospedaria havia lugar para ele, e sim em uma manjedoura, um lugar tão simples. Ali nasceu o Rei dos reis.
Foi nesta noite que Deus se mostrou misericordioso para conosco, colocando o filho de seu amor entre nós. A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida. Em tempos de grandes trevas, Deus prometeu enviar uma luz que brilharia sobre todos os que estivessem vivendo sob a sombra da morte. Essa mensagem de esperança cumpriu-se com o nascimento de Cristo e o estabelecimento do seu Reino eterno. Ele veio para libertar a todos da escravidão do pecado.

À toda a família Batista Conservadora e aos visitantes do Portal Batista, desejo um Feliz Natal e um próspero ano de 2019, cheio de bênçãos, alegrias e realizações. Que o verdadeiro espírito de Natal esteja em nossas vidas, por  todos os dias.

 

*Presidente da Ordem de Ministros Batistas Conservadores - OMBC