IMPRENSA

Saudades

Galeria de Fotos


A Carta aos Filipenses expressa a qualidade do relacionamento que existia entre seu autor, apóstolo Paulo, e os irmãos residentes na cidade de Filipos.
Existem expressões que provam a profundidade e a sinceridade existente nestes relacionamentos.
O verso 8 do primeiro capítulo expressa um sentimento profundo de Paulo por seus irmãos em Cristo que residiam em Filipos.
“Pois minha testemunha é Deus, da saudade que tenho de todos vós, na terna misericórdia de Cristo Jesus”.
O verso 3 afirma que a gratidão de Paulo a Deus era por tudo o quanto recordava deles, falando de algo geral, sem mencionar detalhes, concluindo que, Paulo podia agradecer a Deus pelo procedimento quotidiano de seus irmãos em Filipos.
Já no verso 5 Paulo especifica um tipo de cooperação e detalha o tempo:
“pela vossa cooperação no evangelho, desde o primeiro dia até agora”.
Eram leais cooperadores na Bendita Obra de Deus! Vidas dignas de confiança.
Enfim... lindos motivos para sentir saudades, mas a saliência foi para os que cooperaram na nobre missão que Jesus Cristo nos confiou!
Já no 2º livro das Crônicas capítulo 21 e verso 20, temos um exemplo que nos causa grande temor:
“Era da idade de trinta e dois anos quando começou a reinar, e reinou em Jerusalém oito anos, e foi-se sem deixar de si saudades; e o sepultaram na Cidade de Davi, porém não nos sepulcros dos reis”.
Vejamos o procedimento de Jeoacaz, filho do rei Asa em seu curto tempo como rei:
1. Quando assumiu o trono e se fortificou, matou seus irmãos de sangue à espada (que eram melhores do que ele v.13), além de alguns príncipes de Israel (v. 4). – Expondo sua insegurança, crueldade e fraqueza.
2. Andou nos caminhos dos demais reis de Israel fazendo que era mau aos olhos do Senhor (v. 6). – Não teve uma posição pessoal de fidelidade e seguiu maus exemplos.
3. Fez altares nos montes para corromper os moradores de Jerusalém (v. 11). – Foi infiel e induziu seus súditos a serem infiéis.
4. Foi alertado pelo profeta de Deus sobre o castigo que viria, mas não deu ouvidos (vs. 12 – 15). – Reação comum para quem já está determinado a fazer o mal.
5. Como consequência de sua rebeldia e insubmissão a Deus, em sua doença saíram-lhe as entranhas, morrendo de más enfermidades e seu povo nem lhe queimou aromas (costume de honras em memória do falecido). – Esta foi  a consequência em vida e sepultamento.
6. Para completar: “...e foi-se sem deixar de si saudades;” – Não causou influência positiva alguma enquanto viveu e as influências  negativas não valeram a pena serem recordadas, de forma que sua vida ficou no esquecimento.
Todos nós temos uma trajetória terrena e, durante os anos que recebemos de Deus para viver, demonstramos que tipo de fidelidade e sinceridade temos para com Deus e nosso próximo. Certamente que os respectivos comportamentos atrairão para si resultados semelhantes ainda em nossos dias.
Para refletir:
*Como tem sido meu procedimento neste tempo?
*Alguém vai sentir saudades quando você se for desta vida para a eternidade?
*Onde passarás a eternidade?