IMPRENSA

Quando Deus parece estar calado

Galeria de Fotos


Todo cristão que caminha com o Senhor há algum tempo já passou por algo assim: você ora, pede, busca, mas parece que Deus está calado, está distante, não te responde, você não sente mais a presença dele... A princípio você ignora, depois se preocupa e, pouco a pouco, começa a lidar com dúvidas e pode chegar a uma verdadeira crise de fé. O que fazer quando você encara esse silêncio de Deus? Como continuar sua caminhada de fé? Como cultivar a presença de Cristo em seu coração?
Um dos textos que melhor descrevem essa situação é o salmo 13. Nele Davi lança seu lamento “até quando?”. Não se sabe ao certo o momento em que Davi escreveu esse salmo, mas certamente foi um momento em que Deus pareceu ter se calado ou até se esquecido dele. Seu coração está perturbado e suas emoções parecem arrastá-lo ao desespero da morte: “Ilumina os meus olhos, ou do contrário dormirei o sono da morte...” (verso 3).
De modo surpreendente, porém, Davi muda completamente o rumo de seu cântico a partir do versículo 5. A partir deste momento ele volta a afirmar sua fé e sua confiança. Ele declara que seu coração exulta no amor de Deus e concluí dizendo no verso 6: “Quero cantar ao Senhor pelo bem que me tem feito”. A mudança é incrível e nos traz esperança, mas a pergunta permanece: como ele chegou a essa mudança? O que ele fez durante o período em que estava desanimado, enquanto Deus parecia calado?
Gostaria de alistar algumas considerações a partir do salmo, mas também de outras passagens. Assim, em períodos que Deus parece se calar:
1. Leia a Bíblia. Parece simplista, não? No entanto, se estamos reclamando do silêncio de Deus é porque acreditamos que ele não só fala como também que suas palavras são importantes; trazem vida. Em Romanos 10.17, Paulo nos instrui: “Consequentemente, a fé vem por se ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo”.
2. Peça sabedoria. Sabedoria é a capacidade de aplicar a verdade à vida. Não basta conhecer a verdade, é preciso saber aplicá-la. Tiago nos fala: “Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida” (Tiago 1.5).
3. Confie naquilo que Deus já mostrou. Um antigo ditado afirma que não devemos duvidar no escuro daquilo que Deus já nos mostrou no claro. Reafirme – como Davi – as verdades das quais você tem convicção, mesmo que não as sinta. Lemos em Provérbios 3.5-6: “Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas”.
4. Exercite a piedade. Piedade é uma palavra desgastada, mas em seu sentido original significa uma inclinação na direção de Deus. Exercitar sua piedade significa cultivar características que nos aproximam de Deus. Essas características não vão surgir sozinhas, por isso Pedro nos exorta:
“Por isso mesmo, empenhem-se para acrescentar à sua fé a virtude; à virtude o conhecimento; ao conhecimento o domínio próprio; ao domínio próprio a perseverança; à perseverança a piedade; à piedade a fraternidade; e à fraternidade o amor. Porque, se essas qualidades existirem e estiverem crescendo em sua vida, elas impedirão que vocês, no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo, sejam inoperantes e improdutivos.” (2Pedro 1.5-8)
5. Ponha seu relacionamento com Cristo em ação. Viva sua fé em Cristo, mesmo que você esteja lidando com dúvidas. Não fique paralisado, mas aja de acordo com sua fé. Minha experiência é que, sempre que dou passos em direção a Cristo, ele está bem ali do meu lado e se agrada de caminhar comigo. Paulo escreve em Filipenses 2.12-13:
“Assim, meus amados, como sempre vocês obedeceram, não apenas na minha presença, porém muito mais agora na minha ausência, ponham em ação a salvação de vocês com temor e tremor, pois é Deus quem efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade dele.”

Texto de Daniel Lima (site ochamado.com)

Versão: Filipe Gonçalves (Portal Batista)